Vale a Pena Investir Dinheiro em Fundos de Investimentos? Confira a resposta em 5 Passos

Quando as pessoas começam a entender o mercado financeiro, mas ainda não sabem muito sobre ele, pensam logo em aplicar dinheiro nos fundos de investimentos.

Por que será que isso acontece?

Simplesmente porque eles são os investimentos que rendem mais do que a tradicional poupança e dão “menos trabalho” ao investidor…

Mas, será que tudo é tão maravilhoso quanto parece?

Confira neste texto os prós e os contras dos fundos de investimentos. Entenda quando é a hora certa para investir neles e qual o jeito certo de fazer isso!

Na definição simples, um fundo de investimento é uma opção na qual várias pessoas depositam seus recursos com o objetivo de ter um gestor que cuidará daquele dinheiro.

No fim das contas, os investidores só querem obter ganhos com a aplicação, mesmo que para isso, precisem pagar algumas taxas.

De forma geral, os bancos costumam ter vários fundos de investimentos. Assim, os clientes podem comprar “cotas” desse fundo. O banco, por sua vez, tem a missão de organizar e distribuir esses recursos para conseguir os melhores retornos financeiros.

1 – Gestor de Fundos de Investimentos

No fundo de investimento, os gestores são aqueles profissionais que ficam responsáveis por gerar rentabilidade. Eles avaliam a carteira de investimentos e optam pelas melhores escolhas, baseados inclusive nos cenários, mercados, política e outros fatores.

Se o fundo está no banco, ele é o próprio gestor.

2 – Cotas dos Fundos de Investimentos

É uma separação que existe entre os cotistas e os ativos. Assim, o investidor não compra diretamente um ativo, e sim, cotas. É o fundo que compra os ativos, seguindo a política do investimento.

Reprodução: Google

3 – Estratégia de Investimentos dos Fundos

Existem vários tipos de fundos, como aqueles que investem em ações e, por isso, são mais agressivos. Tem também os de rendas fixas, de fundos imobiliários, de multimercados. São vários.

Portanto, ainda que siga uma política determinada, nem sempre um bom gestor vai conseguir trazer bons retornos, mesmo porque isso vai depender outros inúmeros fatores externos, como já mencionados aqui.

É por isso que os investidores iniciantes costumam gostar dos fundos de investimentos: a tarefa mais árdua fica para os gestores.

4 – Quando vale a pena investir em Fundos de Investimentos

Ainda seguindo a mesma linha, porém, conforme o tipo de aplicação do fundo, as taxas de administração, que são pagas ao banco, podem ser mais elevadas, ultrapassando até 2%.

Se a alta de administração é alta e ainda tem a incidência do imposto de renda, é preciso ficar muito atento quanto a rentabilidade final, que, com certeza, será prejudicada.

O ideal é olha o prospecto dos fundos e fazer uma análise sobre o histórico de resultados.

5 – Glossário

Nos fundos de investimentos existem algumas palavras que não são habituais, mas que podem fazer você perder dinheiro se não compreendê-la da forma correta. Separamos algumas delas, confira agora!

– Aplicação Mínima: é o valor mínimo para que seja feita a primeira aplicação no investimento do fundo. No geral, esse valor é maior do que os aportes.

– Aporte: é quando o cotista envia dinheiro ao fundo, além da aplicação mínima, com a finalidade monetizar ainda mais o investimento.

Benchmark: é um indicador de performance mínima do fundo, sendo que alguns acompanham o CDI, outros o Ibovespa e assim por diante.

– Come-Cotas: é um sistema de tributação aplicado em alguns fundos.

– Cotização: é o processo da troca de dinheiro por cotas ou vice-versa.

– Prazo de Resgate: é o prazo estabelecido para que os recursos investidos sejam resgatados, ou seja, retirados da aplicação.

– Movimentação Mínima: é um valor mínimo para a realização de aportes e resgates.

– Prazo de Liquidação: é a quantidade de dias que o fundo leva para depositar na conta corrente do investidor o resgate feito.

– Resgate: é quando o investidor retira os recursos do fundo.

– Taxas de Administração: é o custo pago às instituições pela gestão e administração dos fundos.

– Taxa de Perfomance: são taxas cobradas para remunerar o gestor quando o fundo apresentar bons resultados.

Com informações da verios